sexta-feira, 24 de maio de 2013

Condomínio sustentável, é possível? Como começar?

Recebemos uma postagem excelente do Renato Moreno Munhoz sobre como o síndico pode contribuir com ações de sustentabilidade no seu condomínio e estamos repassando. Boa leitura!

Muitos síndicos se perguntam? Como posso começar a realizar ações de sustentabilidade no meu condomínio? Não tenho conhecimento técnico, o orçamento é apertado, o que posso fazer? Talvez o começo seja um pouco mais fácil ou mais difícil para alguns, a depender de verba e outras características do prédio, mas não vamos desanimar, independente de qualquer situação, sempre é possível implementar algumas ações de sustentabilidade, sejam em maior ou menor graus.

Existem medidas que dependem dos moradores, algumas que só dependem de boa vontade e outras que precisa de um pouco de esforço mútuo. Lembre-se que toda mudança de hábito só é possível com bons exemplos e honestidade, ou seja, faça sempre o que prometeu fazer e mostre os resultados.

O que é mais fácil e pode começar já?!
  • Troca das torneiras e válvulas de descarga dos banheiros das áreas comuns. Depende só do síndico.
  • Instalação de sensores de presença e troca das lâmpadas incandescentes por eletrônicas. Depende só do síndico.
  • Coleta seletiva. Depende de apoio dos moradores na separação dos materiais, o papel do síndico é garantir que o material separado tenha a destinação prometida, seja ela o catador, a cooperativa ou a venda.
A sugestão é começar de forma simples, se falta espaço para armazenar o material reciclável, faça inicialmente somente a coleta de latinhas, óleo e jornais, divulgue as conquistas em comunicados internos, a tendência é crescer muito a adesão de moradores.

Além disso, outras ações podem ser tomadas, como desligar as lâmpadas que não estão em uso, fazer a revisão periódica dos painéis elétricos, evitar desperdícios de água na limpeza de cisternas, economizar material de limpeza, inspeção de vazamentos de água em apartamentos e áreas comuns etc.

Fonte: http://condominiossustentaveis.wordpress.com/2013/05/23/ser-sustentavel-como-comecar

Recomendamos: http://www.ajoambiental.com

sexta-feira, 3 de maio de 2013

Audiência Pública: Rio livre de lixões até 2014

No dia 7 de maio, próxima terça-feira, às 10h, na Alerj. O Estado do Rio de Janeiro, assim como todo o Brasil, tem um compromisso: erradicar os lixões até 2014. Os locais irregulares de depósito dos resíduos sólidos deverão ser encerrados e dar lugar a aterros sanitários. É o que determina a Política Nacional de Resíduos Sólidos, em vigência desde 2010. E para monitorar o andamento deste processo em território fluminense, a deputada Aspásia Camargo, presidente da Comissão de Saneamento Ambiental da Assembléia Legislativa, promove na próxima terça-feira, dia 7 de maio, a Audiência Pública para Acompanhar o Encerramento dos Lixões. O encontro será no auditório Nelson Carneiro, sexto andar do prédio anexo da Alerj, às 10h.

O tema do fim dos lixões vem ganhando muito destaque no Rio. No ano passado, Gramacho, que colecionada títulos como 'o grande vilão ambiental da Baía de Guanabara' ou 'o maior aterro sanitário da América Latina', fechou suas portas, sendo substituído pelo Aterro de Seropédica, mais moderno e tecnologicamente preparado para receber as nove toneladas diárias de resíduos sólidos geradas só pela cidade do Rio de Janeiro.

Mas o Estado está em vias de conseguir encerrar seus lixões no tempo previsto? Assim como de construir os aterros saneados para receber os resíduos? Os catadores estão recebendo o suporte necessário? O que tem a dizer o Instituto Estadual do Ambiente (Inea), a Secretaria de Meio Ambiente do Estado, as prefeituras, as associações e cooperativas de catadores, entre outras autoridades e membros da sociedade civil?

Na próxima terça-feira, venha fazer este debate!
Mais informações: (21) 2588-1646